Como a tecnologia e a mobilidade podem ajudar a expandir o seu negócio. 

As empresas precisam se preparar para enfrentar o impacto da espantosa evolução do número de usuários da internet no comércio de produtos e das transformações advindas do comércio eletrônico.

Nos últimos anos, os empreendedores  tem enfrentado profundas mudanças relacionadas à tecnologia e comunicação.

A globalização de mercados e a integração interna e externa das empresas caracterizam um novo ambiente empresarial, no qual os mais  diversos setores tem realizado significativos investimentos em T.I..  Nesse caso, a distância física não tem sido empecilho.

O comércio eletrônico já é uma realidade aplicada à T.I e não se restringe apenas à compra e venda de produtos e serviços.

Os sistemas de comércio eletrônico estão sendo explorados para fim de comunicação entre filiais, conectividade com os clientes , fornecedores e publicidade.

Dentre os perfis que mais consomem no e-commerce se destaca o feminino.

As mulheres representam 53% das pessoas que acessam a rede no Brasil.

O consumo do público feminino já representa 50,2%. Os jovens entre 25 e 34 anos (35,94%) e jovens com 18 a 24 anos correspondem a 12,97% do mercado .

As mulheres tem um comportamento diferente dos homens na hora da compra.

Elas pesquisam mais, comparam mais opções, são mais exigentes, costumam ser mais receptivas, são mais engajadas em promoções, são mais receosas com propagandas, preferem comprar quando recebem alguma indicação confiável, além disso, elas são seletivas e buscam satisfação pessoal.

Segundo fontes do IBGE, o comércio eletrônico representou 3,3% das vendas totais no país e um crescimento de 15,3% no faturamento, cerca de R$41,3 bilhões em 2015.

Há alguns fatores que influenciaram o crescimento do volume financeiro, dentre eles, as vendas de smartphones e eletrodomésticos.

Outros pontos de destaque foram o omnichannel, cross border, aumento das vendas por dispositivos móveis, aumento de consumidores ativos e diminuição de frete grátis.

Em meio a uma grande instabilidade econômica e política no Brasil, o comércio eletrônico continua apresentando taxas de crescimento superiores ao varejo tradicional.

Vender se tornou um grande desafio e deixar de lado essa importante fatia de mercado pode fazer a diferença no resultado final.

Mas, para aproveitar essas oportunidades é necessário conhecer muito bem o perfil do seu consumidor, mapear processos e contar com ferramentas que auxiliem na gestão,como:

Mobilidade: De acordo com a pesquisa, 80% das empresas que oferecem experiência de compra mais ampla têm desempenho melhor que seus concorrentes. O aumento do uso de smartphones facilitou o acesso a compra online.

CRM: (Customer Relationship Management) utilizado para direcionar a estratégia de comunicação e marketing.É a gestão de relacionamento com clientes, identifica novas possibilidades de venda e pode também fidelizar o comprador.

Automação: Softwares que ajudarão muito na rotina de trabalho.

A tecnologia pode auxiliar em todas as etapas do negócio,no atendimento ,na logística e diversas outras áreas.

Basta não ter medo de apostar em inovações e contar com parceiros confiáveis.

Em 2017,quais são seus planos de inovação?

Por: Cris Dworak
Analista de Negócios